Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Decisão tomada, tivemos meio ano para preparar e sonhar com a nossa viagem.

De imediato, o voo low cost limitou-nos a bagagem: uma mini mala com dez quilos e uma mochila mini para cada um. Onde vou levar tudo o que precisamos? Só as sapatilhas ocupam metade da mala! Foi uma questão que me foi sempre irritando mas só fiz o teste no último dia.

As sapatilhas são indispensáveis para fazer os trilhos e para dias de chuva. Se as levarmos calçadas economizamos espaço. O mesmo acontece com as calças de ganga. Permitem fazer looks para todas ocasiões, faça chuva ou faça sol. Também vão vestidas. Tenho de confessar que para além das brancas que levei vestidas, levei mais dois pares na mala mas não as usei. A S. também levou um par extra e calças de fato de treino e também não as usou. Quanto pesam cinco pares de calças? Também levamos t-shirts de manga comprida que não usamos. Conclusão, apesar de estar atenta ao tempo que faz na ilha, a médias anuais e previsões, ocupei as malas com roupa que não usamos. Sou mulher e mãe!

Foram-nos prometidas as quatro estações num só dia e a promessa foi cumprida. O clima é imprevisível e em constante mudança. Graças ao “Anticiclone dos Açores”, os padrões climáticos são bastante diferentes daqueles registados no continente. Geralmente, o clima é mais ameno e calmo, como é comum nas regiões subtropicais. Os Açores não têm um clima mediterrânico como os restantes países situados à mesma latitude; têm, sim, um clima marítimo húmido e graças à constante humidade, as temperaturas de Verão são geralmente sentidas como sendo mais quentes do que os números registados. A chuva marca presença mais ou menos constante. A Corrente do Golfo, que passa relativamente perto, mantém as águas do mar a uma temperatura média entre os 17°C e os 23°C. 

Desta feita, e para o nosso tipo de férias, deveria ter levado na mala: 

- fatos de banho e biquinis q.b., existem imensas praias, piscinas naturais e não só, lagoas, caldeiras e poças. O melhor é andar sempre com um vestido pois não sabemos o que vamos encontrar ao virar da esquina. Devido à humidade não secam de um dia para o outro, daí a quantidade. Não esquecer de levar um mais velhinho para enfrentar as águas férreas.

- sapatilhas para fazer os trilhos. Impermeáveis se possível já que os caminhos estão constantemente húmidos.

- impermeável leve com capuz para os períodos de chuva.

- casaco de fato de treino com capuz para as viagens no mar e subida aos picos mais altos.

- calções, muitos calções. 

- mochila.

Outra limitação dos voos low cost é que as mini malas não são de porão mas de cabine, ou seja, líquidos, lâminas, tesouras e outros não passam na alfandega. Levei apenas as escovas do cabelo e de dentes. Tudo o resto que precisei comprei nos supermercados locais, usei e não trouxe de volta.

Nos primeiros dias da viagem compreendi que o stress podia ter sido evitado. Dez quilos de roupa chega perfeitamente para quinze dias de viagem. Com boa vontade até chega para um mês. Em último recurso podemos sempre lavar para voltar a usar!

O importante é ir. O resto arranja-se... é incrível o que conseguimos viver com tão pouca coisa.

 

0 (3).jpg

 

0 (4).jpg

 

0 (5).jpg

 

0.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D