Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


pata tenra.jpg

 A «madame paulo» construiu os escuteiros, mas no início era só para rapazes. Agora as meninas também podem ser escuteiros. A criança queria dizer Baden-Powell mas a pronúncia inglesa ainda não está bem definida. 

Em meados da década de 1910, o Escutismo, que naquela altura só admitia rapazes a partir dos 11 anos, deparava-se com um problema: muitos meninos menores de onze anos também queriam ingressar no Escutismo e, com frequência, eram os irmãos mais novos de escuteiros. B.P. tinha então que tomar providências para solucionar este "problema". Embora estivesse receptivo à ideia, teve que tomar precaução para evitar que se pensassem  que o seu Movimento estava a criar uma espécie de infantário para escuteiros. As suas preocupações principais eram: não cansar as crianças desta idade com actividades que estavam além das suas capacidades físicas e evitar o risco de perturbar os rapazes mais velhos, os quais poderiam sentir-se humilhados por terem que realizar as mesmas actividades dos mais jovens. Em suma, B.P., preocupava-se que o novo ramo do Escutismo tivesse as suas próprias características pedagógicas. Em 1914, com a ajuda de amigos, publicou um plano resumido para o ramo dos Lobitos. A publicação desse plano foi acompanhado da promessa de B.P. de elaborar um manual próprio para os pequenos, o qual abordaria um método com características próprias. Com o início da 1ª Guerra Mundial, o projecto do manual foi adiado. Entretanto, B.P. convidou uma senhora de nome Vera Barclay para assumir a responsabilidade da organização dos Lobitos. Em 1916 surge o livro "Manual do Lobito" escrito por B.P. mas com uma grande ajuda de Vera Barclay.

 

Ainda não sou lobito, sou pata fofa! Tenra, és pata tenra, a patas fofas é do filme do gato das botas! Está confusa! Mas fica um must com a fardinha! Quarenta e cinco mocas sem as sapatilhas... a t-shirt e a camisola estavam esgotadas.

 

Pata-Tenra é o lobito que mal sabe andar e que nem caça, por não ter ainda forças nas suas patas. É aquele que precisa de ajuda para descobrir e compreender as primeiras leis e os primeiros segredos da selva, porque tem tudo para aprender. Precisa, assim, dos Velhos Lobos e dos lobitos mais velhos para crescer em alcateia e se tornar um bom lobito.

 

lobitos.jpg

 

Tudo novo também para mim, tenho de fazer umas pesquisas...

Como diz a chefe, nós somos da primeira e a Iª secção está organizada da seguinte forma: os elementos são denominados Lobitos; os Lobitos pertencem a bandos de 5 a 7 elementos; os bandos formam a Alcateia; uma Alcateia é constituída por dois a cinco bandos; cada bando distingue-se pelas cores branco, cinzento, preto, castanho e ruivo; o patrono de todas as Alcateias é São Francisco de Assis; Santa Clara de Assis, Beato Francisco Marto e Beata Jacinta Marto são os modelos de vida a seguir pelos lobitos; a cabeça de lobo e a cor amarela identifica a Iª secção.

Como em todas as actividades da S., a aprendizagem gira em torno de uma história. No ballet é a história do lobo mau, é os galopes de pónei, na natação é os golfinhos. Os escuteiros não fogem à regra e usam a história do livro da selva.

 

Era uma vez... numa tarde, na selva, soa o grito selvagem do cruel tigre, Xercane.
Pai Lobo preparava-se para caçar quando a Mãe Loba o deteve:

- Escuta! Não é boi nem cabra que ele caça, mas um homem!
- A Lei da Selva proíbe a caça ao homem porque é o mais fraco e desprotegido de todos os animais... mas é verdade que Xercane não respeita a Lei.

Ressoava novo grito. Pai e Mãe lobos compreenderam que o tigre tinha falhado a tentativa: com efeito Xercane, que se imaginava com um bom jantar, falhou o salto e caiu no meio da fogueira. Queimado e envergonhado foi esconder-se enquanto os lenhadores fugiam amedrontados.
Na fuga esqueceram o filho mais novo que, também assustado, se dirigiu sem saber para o Covil dos Lobos. Parou diante do Pai Lobo, olhou-o e pôs-se a rir. Com cuidado (até porque um lobo pode transportar um ovo entre os dentes sem o partir), Pai Lobo transportou a criança para o Covil para o meio dos seus filhos. O menino acomodou-se entre eles e adormeceu, sob o olhar enternecido da Mãe Loba que decidiu protege-lo e chamar-lhe "Maugli" que significa Rã porque a criança não tinha pêlos no corpo, tal como a rã.
Xercane tentou várias vezes entrar no Covil para se apoderar da "sua" presa sem o conseguir.
Pai e Mãe lobos queriam que Maugli fizesse parte da família, mas para isso era necessário a autorização da Alcateia dos Lobos de Seiouni que se reuniam todos os meses com Áquela (o seu chefe) quando havia Lua Cheia, na Rocha do Conselho.
Aqui eram apresentados os últimos lobitos que tinham nascido e eram relembradas as palavras de ordem da Alcateia... os novos lobitos foram apresentados e com eles Maugli.
Para que fosse aceite foi necessário o apoio de dois animais importantes, que não os pais, tomassem a sua defesa.
Foram Balú, o Urso que ensina a Lei da Selva aos novos e Baguirá, a ágil Pantera negra, que ofereceu um touro gordo à Alcateia para que esta autorizasse a permanência de Maugli entre o Povo Livre.
Assim, Maugli cresceu na companhia dos lobos, aprendeu a subir às árvores, a nadar tão bem como a correr, a mergulhar nos lagos sem incomodar as rãs, a tirar os espinhos das patas dos seus irmãos lobos, a conhecer as bagas e os outros frutos bons para comer.
Balú, o Urso sábio, ensinou-lhe a linguagem das abelhas, das cobras como dos outros animais. Maugli fez ainda outros amigos; os mais conhecidos eram , a cobra; Tchill, o abutre; Haiti, o elefante; mas também tinha outros inimigos além do Xercane, o tigre cobarde e cruel, Tabaqui, o chacal lisonjeador e preguiçoso; e os Banderlogues (os macacos) animais sem lei e pouco asseados. Um dia, enquanto Balú dormia, Maugli foi raptado pelos Banderlogues, que o levaram pensando que ele conhecia o segredo do fogo, um segredo dos Homens. Balú e Baguirá, pediram a , a enorme serpente que os ajudasse a libertar Maugli... e conseguiram! Maugli viveu muitos anos na Alcateia onde participou na vida dos animais da selva e onde aconteceram muitas Caçadas e Aventuras. Quando mais crescido, Maugli voltou para à aldeia dos homens mais tarde.

Este é apenas um resumo do Livro da Selva que encerra muitas mais histórias para ser contadas.

personagens livro da selva.png

Aquelá e Balú, alerta! Tomem bem conta da minha criança! Aventuras, brincadeira, mas depois quero-a sã e salva nos meus braços! Balú, urso bom e sábio, embora grande, gordo, pesadão e dorminhoco, é o mestre das Leis da Selva. Ensina a Maugli as leis da selva e as canções. É divertido e o melhor amigo de Maugli. Aquelá é a chefe da Alcateia. Ela vela para que os lobos observem as leis da selva.

 

A lei: O Lobito escuta «Aquelá». O Lobito não se escuta a si próprio.

Devemos ouvir os concelhos dos nossos chefes porque eles têm mais experiência. Na selva, Maugli achou graça aos Banderlogues, o Povo sem Lei. Em vez de ouvir os conselhos de Balú seguiu-os e acabou por ser raptado por eles e meter-se a ele e aos amigos em sarilhos. Devemos sempre teimar com a voz que ouvimos e que nos chama a fazer coisas sem pensar. 

 

As máximas: 

O Lobito pensa primeiro no seu semelhante
O Lobito sabe ver e ouvir
O Lobito é asseado
O Lobito é alegre
O Lobito é verdadeiro

 

A promessa:

Prometo, da melhor vontade: ser amigo de Jesus, amando os outros; respeitar a Lei da Alcateia; praticar diariamente uma boa acção.

 

A saudação:

Representa as orelhas de um lobo quando está com atenção, e os dois artigos da Lei do Lobito. A posição do polegar sobre o anelar e o mindinho é interpretado como a afirmação de que os escuteiros estão conscientes de que o mais forte protege o mais fraco.

SAUDAÇÃO LOBITOS.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/31



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D